quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Chuva

Estou assim:
A cada beijo que vejo
Desvio o olhar
Meus olhos se enchem
Me engasgo
E escorro por mim mesmo
Buscando um beijo
Seu e meu
Sem te saber quem
Sem me saber como
Querendo um quando
Desde que já

4 comentários:

  1. ah, Ivan, como eu entendo...
    lindo poema, moço!
    beijo

    ResponderExcluir
  2. escorrem as palavras, como gotas,
    pingando no tempo.

    ResponderExcluir
  3. lindo poema Ivan... cheio de água e bem lindo! tava com saudades disso aqui! Beijo!!

    ResponderExcluir