quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Inversão especular

Que ironia... Dirigia tão cuidadosamente durante toda a vida que não tirava os olhos dos retrovisores, daí só via o que estava atrás, mas dizia querer ir para frente. De tanto se concentrar no que passou, colidiu com o futuro.

16 comentários:

  1. Fantasia à parte, o destino assusta tanto que o tropeço ao futuro é uma arte desejada!

    Abs meu caro.

    ResponderExcluir
  2. Hum... interessante aforismo, meu caro. Adorei! Muitos acabam fazendo isso mesmo.

    Beijinho.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei pensando aqui...
    O futuro está parado?
    Ou anda para trás ao encontro do presente?
    O passado se faz no encontro do presente com o futuro?
    Será que o futuro está sempre correndo pra frente e, na verdade, é o inapreensível supremo?

    Seus post's, curiosamente, só me fazem render questões infindas...

    Abraço!

    Álly.

    ResponderExcluir
  4. Que choque!...e caiu de tanto presente!
    Belo alforrismo!
    Suuuuper Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Ivan,

    o prazer é todo meu! PARABÉNS pelo aniversário! Presente? Receberá oportunamente no blog Vítima da Quinta!

    Abçs

    PS- Parabéns pelo humor do blog!

    ResponderExcluir
  6. dica:
    acho que não cabe "colidiu-se". seria: colidiu com o futuro.
    e "concentrar NO que passou".
    penso eu.
    beijo

    ResponderExcluir
  7. E o futuro está aqui, bem aqui..no presente.

    ResponderExcluir
  8. Ivan,

    Me identifiquei com seu alforismo por ele abordar a categoria "tempo", fundamental em minha profissão. Nós historiadores trabalhamos a idéia de que aquilo que aconteceu no último segundo, agora mesmo, jamais poderá ser recuperado. Temos acesso apenas às diversas interpretações que tal evento proporciona. César jamais atravessará o Rubicão novamente, como o fizera em 49 a.C. Mesmo que este evento tivesse sido filmado com a mais moderna câmera, em 3D, com cheiros e sensações registrados e César assistisse à filmagem, a experiência não seria a mesma.

    Nem o passado e nem o futuro na verdade existem. A única existência concreta é o presente. É preciso se desprender das experiências passadas, deixar as comparações de lado e viver cada segundo mágico e precioso do AGORA. Tenho buscado colocar este pensamento em prática e seu texto contribuiu para o reforço deste ideal.

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  9. Muito verdadeiro, paz.
    Beijo Lisette

    ResponderExcluir
  10. Lembro de, quando criança, andar de carro era olhar para a frente dos carros de trás e dar thauzinho. Olhávamos para trás e dávamos sorrisos de criança para as pessoas no transito... não sabiamos ainda o que encontraríamos na vida dali para frente, mas naquela época não estávamos preocupados com isso.

    Gostei muito da sua reflexão e palavras! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Quantos de nós não vivenciamos isso de vez em quando? E ao sentirmos a proximidade do futuro, nos entristeassustamos por termos vivido tão ligados ao passado e imperceptíveis ao presente...Como se a vida fosse eterna, em nossa eterna ególatra presunção... Sempre bom imbuirmos o espírito dessas leituras que nos dão o chacoalhar certo,no oportuno instante: o AGORA!

    ResponderExcluir
  12. Bela metáfora! E muito verdadeira, certamente. A centração excessiva e permanente no passado paralisa, comprometendo o presente e o futuro. É importante ter atenção aos espelhos retrovisores, mas não esquecer que há um pára-brisas de maiores dimensões, que dá visibilidade à estrada à nossa frente.

    Bom Domingo!

    ResponderExcluir
  13. Muito legal essa imagem do retrovisor! Bela construção sobre o tempo...bjos!

    ResponderExcluir
  14. FANTÁSTICO!
    [o texto]

    Viver assim é não viver.

    Um abraço,
    Doce de Lira

    ResponderExcluir
  15. Cara, adorei esse negócio....
    kkkkkkkkkkkkkkkk
    muito doido.
    E o pior é que a verdade sobre o que você escreveu chega a ser ensurdecedora...

    Passa lá no Putz, e agora?
    depois e me diz se gosta de alguma coisa...
    adoro seus comentários. Aceito as criticas de bom grado também...

    bjos Ivan

    ResponderExcluir