quarta-feira, 21 de julho de 2010

Ocultismo

Como caminhar em terreno incerto?
Como firmar-se sobre farta turfa?
É que queremos segurança demais pra andar,
E queremos andar demais,
Pensamos ter que andar demais
Pra encontrar o que carregamos na algibeira.

21 comentários:

  1. Simples e belo!

    Caminhar é difícil. :)

    ResponderExcluir
  2. Nossas algibeiras, por vezes, são tão fundas que escondem o que procuramos a vida inteira.
    há que procurar perto antes de alongarmos nossos passos.

    ResponderExcluir
  3. "Certeza é o chão de um imóvel.
    Prefiro as pernas que me movimentam." Nando Reis.


    Lindíssimo post...

    =) Abraço.

    ResponderExcluir


  4. Caminhada dura...
    Divagar nela e devagar chega-se lá!

    ResponderExcluir
  5. Ivan: Pocas palavra, muito significado. Podemos caminhar sim, mas com humildade para quando percebermos que não vamos chegar no destino escolhido, voltar tudo de novo e mudar, e dirigir pela estrada certa. Um mapa ajuda, sempre e planejar qual a estrada que nos levará para onde desejamos evita muita dor de cabeça. Obrigada.
    Aprendendo sempre ao visitar sua Casa.
    Com amor,carinho e afeto,
    Sílvia
    http://www.silviacostardi.com/
    PS.:Passe lá em Casa se desejar e pode passear poe ela e deixar um retalhinho que ficarei feliz!

    ResponderExcluir
  6. E por priorizar garantias, ocultamos segredos até de nós mesmos, encobertos pelo medo dos nossos maiores desejos! Por mais que caminharmos, eles permanecerão secretos, embora latentes e espontaneamente livres, só alcançarão vôo com nosso consentimento e permissão. Mas, isso requer a sutileza da introspecção...

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. "Camiñante no hay, camino, el camiso se hace al andar... "passo a passo,versos a verso, como nos diz o grande Poeta Antonio Machado em Cantares.

    um beijo.

    Carmen Silvia Presotto
    www.vidraguas.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ivan, você faz perguntas que eu custo a responder!

    ResponderExcluir
  9. Ivan,
    gosto desses poemas cujos finais são inesperados.

    ResponderExcluir
  10. Com os pés suspensos...
    Maravilha nos depararmos !

    Agradecida, agraciada por tua visita encantadora.
    Um abraço, Ivan.

    ResponderExcluir
  11. "Como caminhar em terreno incerto?"
    Aos tropeços e cambaleios.
    Não estamos todos
    em uma balança?

    Coincidentemente,
    é o tema que abordei
    no poema publicado hoje
    em minha confeitaria poética:
    nossas oscilações e tibubeios,
    que - creio - inevitáveis.

    Um grande abraço, Ivan!
    A Confeiteira

    ResponderExcluir
  12. Voltei!

    O poema me fez lembrar o texto "A Arte de Pisar nas Nuvens" do Gustavo Gitti que citou um fragmento de Nietzsche:

    “Vamos matar o espírito da gravidade!
    Eu aprendi a andar. Desde então, passei por mim a correr.
    Eu aprendi a voar. Desde então, não quero que me empurrem para mudar de lugar.
    Agora sou leve, agora vôo, agora vejo por baixo de mim mesmo,
    agora um Deus dança em mim!”

    http://nao2nao1.com.br/a-arte-de-pisar-em-nuvens/

    Beijos e um ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  13. Provavelmente, haveria caminhos que não necessitaríamos de trilhar se estivessemos mais atentos e mais centrados no essencial.
    Bom fim-de-semana!

    ResponderExcluir
  14. Ivan, que palavras lindas.
    Temos medo do novo e de caminhos que ainda não passamos. Porque o velho é o que parece mais confortável para nós. É difícil conviver com tanto medo e o medo maior da ilusão que circunda nosso mundo, cada vez mais fechado.

    Adoro te ler.
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Há de se meditar sobre estes teus escritos...

    um abraço com sorriso...

    ResponderExcluir
  16. Indagações, nossas indagações. Bacana.

    ResponderExcluir
  17. "Pensamos ter que andar demais
    Pra encontrar o que carregamos na algibeira"

    Porquê, né?

    Beijoca

    ResponderExcluir