quinta-feira, 29 de abril de 2010

Pensando na vida

Eu andei pensando muito na vida, mas acho que a vida não andou pensando tanto em mim. Como são frustrantes esses amores não correspondidos.

13 comentários:

  1. Ótimo, Ivan! Da minha parte, ando pensando muito na Mega-Sena. E também não sou correspondido...

    (odeio quando não ganho na Mega-Sena!)

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. no caso de nosso amor com a vida, penso que a frustração ultrapassa o desejo de correspondência... ela não só não corresponde, como também resolve nos abandonar completamente quando mais nos afeiçoamos a ela... vida bandida essa...rs

    ResponderExcluir
  3. Álvaro,
    Vamos fazer assim, eu vou ganhar e te conto qual a sensação, ok?
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Yani,
    A relação com a vida é sempre de amor e ódio, encanto e desencanto, e o que faz a vida é, muitas vezes (mas não somente) nosso olhar, lado a lado com nossa história de vida, ou determinado por ela.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. E como insistimos neste amor platônico com a vida...Que sorte temos, de viver á janela desta doce donzela...Sim, acredito que este amor não tenha máculas e que mesmo quando somos feridos voltamos a nos debruçar na esperança de que ela dê ao menos um aceno...Como se pedíssemos por um novo olhar, um balde água fria, um adeus, qualquer coisa que nos aproxime dela...É uma paquera eterna e com poucos retornos...Mas mesmo quando ela se demora, voltamos, dia após dia, ás vezes animados, outras cabisbaixos, mas sempre voltamos...Insistir é tão humano, amar tb...

    ResponderExcluir
  6. Será que todos nós temos um amor (secreto) não correspondido? Às vezes penso que sim... Gostaria de acreditar que sim...
    Não quero ser diferente dos demais.

    ResponderExcluir
  7. Hum... sim, sem palavras.

    Comentário criativo lá no Teatro, obrigada.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Desencontros acontecem...

    "março passou
    e não o vi.

    (...)

    março passou
    e não me viu."

    Trecho do poema "Abril",
    publicado em minha confeitaria poética.

    Um abraço,
    doce de lira

    ResponderExcluir
  9. Renata,
    Obrigado pela visita e pelos comentários. Já fui lá no seu Doce de Lira conhecer, ler, comentar, seguir.
    Este trecho do seu poema, Abril, é muito bom e casa perfeitamente com meu aforismo.
    E desencontros acontecem mesmo, ô, e como, muitos e muitos pra surgir um encontro.
    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  10. Lara,
    O Teatro tem coisas muito interessantes. Sabe que muitas vezes de meus comentários surgem aforismos? É a inspiração inspiranado, uma troca muito bacana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. David,
    Seja bem vindo novamente. Tenho sempre ido à sua plantação de laranjas.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  12. Denise,
    Que bom te ter aqui lendo e comentando. Faça mais isto.
    Ah, e falta colocar uma foto lá no seu perfil pra aparecer sua carinha lá nos quadradinhos, né?
    Beijo grande.

    ResponderExcluir