quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Entre vivos e mortos...

Com o tempo foi ficando mais e mais claro que eles foram enterrados vivos e eu fiquei morto.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Esperançar

Numa terra distante da praia, acalma as dores à sombra
Com suas sobras e conquistas mal inventariadas

     Numa terra seca e só, na companhia apenas de animais
     Com suas dores no corpo e musculatura fraca
     Tenta respirar menos aflitamente, menos ansiosamente

Numa sombra quente próxima ao sol que brilha
Sente o vento parado ao redor e ouve os passos do cão na folhagem seca

     Numa pousada triste e vazia, descansa o corpo só
     Retira-se da companhia de ninguém, não abre portas
     Deixa-as abertas na esperança da entrada triunfal de deus, que ainda não veio

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Vazão...








Quando apaguei o incêndio
Com meu fogo
Transbordei em águas

domingo, 30 de abril de 2017

Quietude

Inquietude que a quietude definitiva trás
Pensamentos, ideias e conjecturas
O temor e a certeza
O horror e a beleza
O caminhar trêmulo, o seguir forte
Certeza de vida e morte
Certeza de que algo é sorte
Mas um tanto maior é construção

Caminhar o caminho errante certeiro
Dentro e fora do próprio canteiro
Acertar o passo, o rumo
Ajeitar a coluna, o prumo
Cheirar as flores, cultivar amores
Olhar o sol, desfrutar a lua
Pensar e pensar e tentar aceitar
A inquietude que essa quietude nos trás

sábado, 29 de abril de 2017

Te move

Mostra tua face,
deixa vazar a luz que tem aí.

Deixa fluir
o céu e o inferno,
deus e o diabo,
todo o humano que há.

Abre teu sorriso
permita teu choro.

Flui teus gritos
cria novos verbos.

Move teu corpo
te descobre viva,
vai, dança,
vai assim viver.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sombra

Imagem: Ronin




Tapei o sol e não foi com peneira
Porque nesse mundo
Sem eira nem beira
Sombra é praquele que sabe achar

domingo, 2 de abril de 2017

Vira latas

Sou bicho vira latas
Cão sem raça
De pele curtida

Alma sentida
Cabelo ao vento
E rabo entre as pernas

Olhar que busca
Olho que brilha
Encontro de mim

Onde ser vira latas
É ter raça nenhuma
E ter todas as raças

sábado, 1 de abril de 2017

De lá

Das ágoras que agora sangro
Das mesmas teias que teço ao tato
Dos mesmos gritos que grito a ecoar

    De lá vem a dor e o bálsamo
    De lá vem o que é e o que não é

O que deixa ser e o que deixa de ser
De lá vem as entranhas, os humores
Os medos, as coragens, vitórias e rancores

    De lá vem a cor e a matiz
    De lá vem o som e o silêncio

Parto em busca de estrada a andar
Parar é opção descartada apesar do cansaço
Correr é desnecessário... andar

    Para onde vem a ode e o odor
    De lá que vem o ódio e o amor

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Então






Uma pessoa
com certezas demais
é uma pessoa incerta.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Religiões... reles legiões...